| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

REVISTA FORMAS & MEIOS
Desde: 03/02/2005      Publicadas: 754      Atualização: 31/10/2005

Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
IMPRENSA

JORNALISTAS - 50 anos de competência


Padrão participou do cancelamento de um jogo do Atlético Mineiro, em Buenos Aires - Argentina, devido fortes chuvas.

Geraldo Padrão iniciou sua carreira exatamente em 1953, com Fernando Alves, na equipe de esporte da Rádio Cultura de Sete Lagoas - MG. Mas ele considera-se profissional somente depois de seu primeiro registro na carteira de trabalho, em 19 de maio de 1955, pelo Pe. D'Amato no Jornal Alvorada. Portanto, o ano de 2005 é motivo de muitas comemorações para Sete Lagoas - e também para quem gosta de jornalismo de qualidade -, pois um dos pilares da comunicação, Geraldo Padrão completou 50 anos de ótimos serviços prestados à cidade através da Rede Padrão, que inclui o Jornal do Centro de Minas, a 92,1 Musirama FM, Rádio Cultura 1.420 - AM, e Cultura 106,9 FM. Seu currículo na Imprensa mineira é bem extenso: A Voz de Sete Lagoas, Jornal da UDN, Cultura e Liberdade, A Notícia e no Jornal do Centro de Minas, e também nas emissoras de sua propriedade. Recentemente, Padrão foi nomeado Diretor regional da AMIRT - Associação Mineira de Rádio e Televisão, com sede em Sete Lagoas.

Ele atuou em várias vertentes jornalísticas: esporte onde buscou sempre perfeição e seriedade, e tem várias passagens marcantes no jornalismo social. Sua emissora participou da cobertura completa quando da visita de Nossa Senhora Aparecida em Matozinhos - MG. Também realizou o SOS em favor da comunidade que fora atingida pelas enchentes do Rio das Velhas. Outro fato importante da Rede Padrão foi a cobertura total do acontecimento político de posse e cassação dos mandatos de quatro vereadores da Câmara Municipal de Sete Lagoas. Todos esses acontecimentos com a participação isenta de suas empresas de comunicação, mostram a necessidade de uma imprensa livre e responsável, cujo exemplo deveria ser seguído, principalmente, nas consideradas "grandes empresas" de comunicação brasileira.

" Somente a Imprensa livre e séria é capaz de reconhecer talentos" [Geraldo Padrão ].

FONTE:
O Jornal do Centro de Minas

TUNEL DO TEMPO - JORNAL NACIONAL- VELHOS TEMPOS


Está no ar mais um campeão de audiência... No dia 1º de setembro de 1969, com Cid Moreira e Hilton Gomes na apresentação, era iniciada uma nova era na televisão brasileira. Estava no ar o "Jornal Nacional".

A TV Globo, com apenas quatro anos de vida e em fase de consolidação, apostou no novo sistema de microondas da Embratel e fez o primeiro programa simultaneamente transmitido para várias cidades brasileiras. Lembre-se que, até então, cada capital tinha sua própria grade de programação, e programas gravados em São Paulo ou no Rio de Janeiro eram exibidos com dias de atraso em outras praças, para dar tempo das fitas chegarem via ônibus ou avião. Sobre a ditadura militar e censura nos primeiros anos do telejornal, Armando Nogueira, então diretor da Central Globo de Jornalismo nos anos 60, 70 e 80, contou ao especial "TV 50 Anos", apresentado pela TV Globo em 2000 que os tempos eram difíceis. "A cobertura tinha que passar pelo crivo dos militares, que tinham aqui dentro [da redação do jornal] um representante. A gente recebia um telex: é proibido noticiar a morte do Capitão Lamarca. Daí, a gente ficava sabendo pelo telex da Polícia Federal que tinha morrido o Lamarca. Mas também não podíamos noticiar". Sempre próximo das oito da noite, o "Jornal Nacional" foi, em 34 anos de vida, assistido por quase todos os brasileiros. Não deve existir uma pessoa sequer que nunca assistiu o JN. Na década de 70, os índices de audiência impressionavam: chegavam aos 70 pontos. O jornal tinha, basicamente, meia hora de duração nos anos 70 e 80. Com o fenômeno "Carrossel", no início dos anos 90, no SBT, a TV Globo viu, pela primeira vez na história, sua maior audiência ameaçada. Resultado: o jornal começou a apresentar um grande número de material investigativo e aumentou sua duração para 50 minutos. Deu certo.

JORNALISTAS - Vem comigo...


JORNALISTAS - Debandada de globais


JORNALISTAS - Carlos Tramontina


JORNALISTAS - CONCORRENTES SE ARMAM PARA DESBANCAR SBT


INTERNATIONAL - Jornalista Peter Jennings morre nos EUA aos 67 anos





Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
Busca em

  
754 Notícias