| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

REVISTA FORMAS & MEIOS
Desde: 03/02/2005      Publicadas: 754      Atualização: 31/10/2005

Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
CONTANDO HISTÓRIAS

IMAGENS, MEMÓRIAS E PROGRESSO

IMAGENS, MEMÓRIAS E PROGRESSO

Uma cidade de ruas estreitas, a maioria iluminadas a gás e cortada por pequenos bondes a burro. São Paulo foi assim até 7 de maio de 1900, quando o primeiro bonde elétrico partiu do largo de São Bento até a Barão de Limeira e causou um verdadeiro espanto na multidão que foi vê-lo passar. Depois desse dia, a cidade de São Paulo nunca mais foi a mesma : os bondes aumentaram o seu tamanho, a energia elétrica iluminou o resto das ruas, agilizou a indústria e criou novos hábitos na população. Toda essa transformação na fisionomia de São Paulo, que foi se dando ao longo destes anos contenta muitos, e desagrada outros tantos. A luz elétrica trouxe consigo a desnaturalização do tempo, eliminando a diferença entre o dia e a noite. Muitos confundiam -se, antes da light, São Paulo era uma cidade que se recolhia cedo para escapar do escuro. Mas a partir de 1900 começou a conhecer a vida noturna com os bares e cabarés, numa boêmia diferente dos antigos saraus de poesias nas casas das moças. De fato, antes de a luz elétrica chegar a São Paulo, foi preciso convencer muita gente de que as lampadas não faziam mal à vista nem ofereciam perigo de incêndio nas casas. Quando a Light instalou a iluminação pública no centro, chegou a receber cartas pedindo para que desligasse os postes durante a madrugada, para que as pessoas pudessem ver as estrelas.

Em 1901, São Paulo consumia 7.500 KW diários de energia elétrica, e em 1903 já tinha 30 lojas que vendiam gramofones e 46 cinemas e casas de diversões. A Light foi criada por uma carta patente da rainha Victória para explorar a eletricidade gerada sob qualquer forma, com poderes para construir ferrovias, linhas telefônicas e telegráficas e de adqüirir quaisquer bens móveis ou imóveis. Inclusive referentes à energia hidráulica lagos, açudes, rios e correntes de água. Nessa época, já mostra com que poder e garras o grande capital estrangeiro entrava no país. O poder político de barganhar, fazer loby e trânsito fácil entre homens de poder é algo velho e mofado, mas usado até hoje pelas empresas e jovens dirigentes que se intitulam modernos .

Estação e Jardim da Luz:A Estação da Luz foi inteiramente trazida da Inglaterra e montada peça por peça perto do bairro nobre dos Campos Elíseos, o primeiro da cidade onde foram morar as famílias de grandes posses. O jardim com suas lâmpadas de arco e seu paisagismo francês, era um bucólico pedaço de mundo onde passeavam cavalheiros de polainas e senhoras vestidas por Paris. As mudanças na cidade contavam sempre com a participação da Light que tinha como maior acionista o engenheiro americano Frederick S. Pearson, construtor de ferrovias que rasgavam os Estados Unidos. Da mesma forma os trilhos dos bondes construiam a expansão e mudavam a paisagem urbana de São Paulo. Os terrenos por onde eles passavam começavam a ser valorizados, abriam-se novas ruas e riscavam-se novos loteamentos em áreas diferentes. O centro da cidade também se modificava. Em 1910 era inaugurado o Teatro Municipal para substituir o velho Teatro São José, junto ao viaduto do Chá. O Teatro São José seria ocupado em 1923 pela Light e depois demolido para dar lugar ao seu edifício - sede Aleksander Mackenzie. Com a construção do Teatro Munucipal, pôde-se acabar também com o pedágio de 6 mil réis cobrados de quem pretendia atravessar o viaduto do chá.

A avenida São João, nessa época já era uma artéria movimentada que ligava o centro aos Campos Elíseos, e a rua 15 de Novembro, uma das mais badaladas misturava o barulho do bonde ao das confeitarias finas. A vida moderna tinha chegado para ficar. A verdadeira vocação à metrópole é algo que vem de berço.
[Francisco Martins ]


NOTÍCIAS - Vale relembrar o Sete de Setembro


Em 12 de outubro de 1822, no Campo de Santana, RJ, Dom Pedro foi aclamado Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil, mas não fez o juramento da futura constitutição.

Em 2 de setembro de 1822, as novas ordens vindas de Lisboa chegaram ao Rio de Janeiro. D. Pedro estava em São Paulo, com o objetivo de resolver disputas pelo controle da Junta provincial paulista. A princesa D. Leopoldina e o ministério de José Bonifácio, tomando conhecimento das últimas notícias vindas de Portugal, resolveram enviar as ordens das Cortes, juntamente com cartas da princesa, dos ministros e de sir Chamberlain, representante inglês no Rio de Janeiro. O correio alcançou D. Pedro, no dia sete de setembro de 1822, às margens do riacho do Ipiranga. Ao receber os decretos e a correspondência, proclamou a Independência, retirando de seu chapéu as fitas com as cores vermelha e azul das Cortes portuguesas. Formalizava-se a separação entre Brasil e Portugal. Na visão da historiografia romântica do século XIX o dia sete de setembro foi escolhido para marcar o momento de nossa emancipação política, apesar da Independência ter se concretizado, na realidade, em agosto, com os manifestos de Gonçalves Ledo e José Bonifácio, e com o decreto de D. Pedro declarando inimigas as tropas portuguesas que aqui desembarcassem. A concepção da historiografia romântico - oficial pode ser observada no quadro do pintor Pedro Américo, que retrata o sete de setembro sob uma visão heróica. Nele, D. Pedro, no alto da colina do Ipiranga, envergando uniforme de gala e montando em um belo cavalo, acompanhado de seus dragões erguia a espada e gritava solene: "independência ou morte". A cena, que passou para a História como a imagem oficial e marco simbólico da nossa Independência, não reflete o que ocorreu de fato.

A derrota de Portugal

No Rio de Janeiro e nas províncias próximas, a Independência foi saudada com entusiasmo. Absolutistas, aristocratas e democratas, que incentivaram o rompimento com as Cortes, acreditavam poder, a partir desse momento, realizar seus projetos políticos. Para os absolutistas, o sete de setembro significava a derrota das forças constitucionalistas em Portugal, que limitavam o absolutismo do rei. Para os democratas, o ato do Ipiranga representava o início de mudanças mais profundas, permitindo a possibilidade de implantação no Brasil de um governo constitucional, em que "a vontade do maior número deve ser a lei de todos". Para os aristocratas, a Independência era a garantia das vantagens conquistadas desde a instalação da Corte no Rio de Janeiro. Apesar da intensa agitação que ocorria no Rio, as populações rurais do interior mantinham-se indiferentes e mal - informadas sobre os acontecimentos. Segundo relatos do naturalista Saint-Hilaire, em suas viagens pelo vale do Paraíba paulista "as revoluções que operam em Portugal e no Rio de Janeiro não tiveram a menor influência sobre os habitantes desta zona paulista. Ou seja, a mudança de governo não lhes fez mal nem bem.
[ Francisco Martins ]

MULHER - JOVITA ALVES FEITOSA


TUNEL DO TEMPO - DAVID MOREIRA CALDAS


MULHER - ESPERANÇA GARCIA


TUNEL DO TEMPO - TV Paulista A "mãe" da Globo


TUNEL DO TEMPO - SP notas


TUNEL DO TEMPO - O PAÇO MUNICIPAL

MULHER - MULHERES e ruas


Mini - Biografias de mulheres que lutaram por uma vida melhor. Aqui figuram como nomes de ruas de SP, por sígno, veja.


Janeiro:

Avenida Anália Franco, Tatuapé- escritora, professora e jornalista, nasceu em Resende em primeiro de fevereiro de 1856. Colaborou em jornais literários e na imprensa feminista. Em 1901, criou a Associação Feminina Beneficiente e Instrutiva de São Paulo. Lutou contra a miséria e para erradicar o analfabetismo, tendo sido pioneira na criação de creches no Brasil, para filhos e filhas de mães que trabalhavam fora, 1901. Em 1906, comprou uma fazenda na Móoca onde fundou uma colônia para mulheres. Dessa iniciativa surgiram uma orquestra e a casa de solidariedade. Morreu em 20 de janeiro de 1919.

Fevereiro:

Rua Anita Malfati - na Casa Verde, uma das mais importante artistas plásticas brasileiras, nasceu dia 2 de dezembro de 1889, na cidade de São Paulo. Iniciou seus estudos artísticos com a mãe e continuou-os na Academia Real de Berlim, na Alemanha , e no Art Students League e na Independent Schoolof Arts, em Nova Iorque. Em 1917 realizou exposição de pintura moderna - onde Anita fora atacada por Monteiro Lobato, porém, defendida por Oswald de Andrade, Menotti Del Pichia e outros. Foi participante histórica da semana de arte moderna de fevereiro de 22. Morreu em São Paulo , em 6 de dezembro de 1963.

Março:

Rua Patrícia Galvão, a pagu - em Itaquera . Jornalista, escritora e ativista política, nasceu em São João da Boa Vista, SP, em 1910. Começou como jornalista aos 15 anos, colaborando com o Jornal do Brás. Aos 18 anos participava do movimento modernista e em seguida do movimento antropofágico, ao lado de Oswald de Andrade, que depois tornou-se seu companheiro. Militante política no Partido Comunista Brasileiro, de onde fora expulsa, fundou junto com seu marido o jornal "O Homem do Povo "que , por proibição política durou só dois anos. Escreveu o romance "Parque Industrial " onde criticava a sociedade paulistana e dava novas visões para mulheres. Faleceu em dezembro de 1962.

Abril:

Rua Bartira , Perdizes- Índia Tupiniquim , viveu no século XVI. Era filha do cacique Tibiriçá, da região de São Vicente. Foi batizada como Isabel Dias. Em 1515, casou-se com João Ramalho, fundador de Santo André , e tiveram muitos filhos. Bartira é denominada por vários estudiosos como a" mãe do povo brasileiro ".

Maio -
Trabalhadoras: Ernestina Lesina, Maria Lopes, Teresa Carini e Teresa Fabri, todas nomes de rua em Cidade Tiradentes - zona leste . Ernestina Lesina, anarquista e dedicada à defesa das mulheres operárias do começo do século. Foi uma das fundadoras do jornal operário Anima Vita. Foi brilhante oradora, e defendia a emancipação da mulher. - Maria Lopes, teve grande importância nas lutas dos trabalhadores. Assinou, em 1906, junto a outras ativistas anarquistas, como Teresa Carini e Teresa Fabri um manifesto às Trabalhadoras de São Paulo, publicado no jornal anarquista A Terra Livre onde denunciava e convocava as costureiras a denunciarem as degradantes condições de vida: jornadas longas e baixos salários.

Junho:
Rua Veridiana da Silva Prado- Higienópolis. Inconformista e incentivadora do desenvolvimento cultural, artístico e político, nasceu em 1825 em São Paulo. Casou-se aos 13 anos, com um meio irmão do pai por imposição da família. Viveu em fazenda da família até 1848, quando transferiu-se para a capital. Chocou a sociedade quando resolveu separar-se e assumir a chefia da família. Viveu em Paris e, em 1884, voltando para São Paulo mudou-se para o palacete, que ficou famoso como Chácara Dona Veridiana. A Chácara tornou-se ponto de encontro de intelectuais , artistas, políticos e cientistas, sediando reuniões sociais e culturais.

TUNEL DO TEMPO - MEMÓRIA Brasileira


GONTIJO "Repórter Esso" TEODORO

Rio - Gontijo Teodoro, que apresentou o cultuado telejornal "REPÓRTER ESSO" por mais de 19 anos, faleceu na madrugada do dia 5 de setembro - 2003 , em sua casa , no bairro de Copacabana. Aos 78 anos. O apresentador foi vítima de um infarto. Nascido na cidade de Araxá -MG, iniciou sua carreira como locutor da Rádio Bandeirantes -São Paulo, passou pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro . Sua fama veio mesmo foi ao comandar o conceituado noticiário da extinta TV Tupi de 1952 a 1970. Antes de dar voz ao programa marcado pelo slogan "testemunha ocular da história", Gontijo havia tido uma experiência como apresentador do "Retratos da Semana".
No "Repórter Esso", que teve início no rádio, ele narrava as noticias com voz firme e entonação perfeita. Foi o locutor de rádio que mais transmitia responsabilidade, confiança ao ler uma notícia devido sua característica vocal. Seu estilo começou a ser adaptado para a televisão logo no ano de inauguração - 1950. Após o término do telejornal, Gontijo Teodoro continuou como locutor da Rádio Nacional - RJ.

RÁDIO 9 DE JULHO

O rádio brasileiro, em especial o rádio paulistano, é absolutamente rico e recheado de histórias emocionantes. Na década de 50, a Philips montou no pavilhão do parque do Ibirapuera a rádio 9 de julho. A rádio foi idealizada por José Roberto Penteado, e não tinha finalidades comerciais. A rádio difundia pelo "sem - fio" em 540 Kcs, em ondas médias e em ondas curtas de 9.530 Kcs. Era chamada de rádio de bolso, e tinha somente finalidades culturais e por isso não vingou. O rádio em Lilliput , tinha gerencia de Nelson Giangiulio, e era um verdadeiro aquário, tudo muito compacto. O locutor ficava exposto e a redação, apesar de ser confortável, nada lembrava as outras emissoras com salas enormes.Tudo isso aconteceu nas comemorações do IV centenário da cidade de São Paulo, em 1954. A nove de julho ainda tentou sobreviver, porém, foi fechada pelo regime militar.

LUÍS MARTINS

Importante escritor e jornalista, Martins teve sua vida profissional ligada à história do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Em suas diversas crônicas em jornais e revistas discorreu sobre diferentes assuntos: Teatro, Literatura, Música, Rádio, Artes Visuais e Artistas do período, entre eles Tarsila do Amaral, com quem foi casado por 18 anos. O livro Lapa, lançado por Luiz Martins em 1936, foi apreendido e queimado por Ter sido considerado subversivo. Por conta do episódio, Martins perdeu o emprego e mudou-se para São Paulo. Com forte penetração nos meios artísticos e culturais, Luiz Martins manteve laços de amizade com vários intelectuais e artistas como Sérgio Milliet, Sérgio Buarque de Holanda,, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Carlos Drumond de Andrade. Luiz Martins faleceu em 1981 e tem um centro de estudos em sua homenagem.

PAULO MENDES DE ALMEIDA

Nascido em São Paulo em 1905, Paulo foi Advogado, escritor, Poeta, Procurador do Estado de São Paulo, Jornalista e Crítico de Arte. Foi também, um colaborador dos principais jornais e revistas da época. Um outro grande feito foi Presidente do I Salão Paulista de Arte Moderna, em 1951. Foi Vice-Presidente da Associação Brasileira dos Escritores, de 1946 a 1947, Membro da Comissão de Assuntos Cultuais do IV Centenário de São Paulo (1954), Diretor Artístico do Museu de Arte Moderna de São Paulo entre 1958 e 1960, tendo acumulado, a partir de fins 1959, funções de Secretário Geral da Bienal de São Paulo.
Na segunda fase do Museu de Arte Moderna, Paulo voltou à Diretoria, de 1969 até 1977. Paulo ainda escreveu o livro De Awita ao Museu.E veio a falecer em 1986. Em sua homenagem, há uma biblioteca em seu nome, a Biblioteca do Mam / SP, no Parque do Ibirapuera.
[ Formas&Meios com AgênciaFM ]

Mais notícias
07/05/2005 - TUNEL DO TEMPO - A PRIMEIRA EXPOSIÇÃO DE SÃO PAULO
" A primeira exposição de São Paulo, foi denominada de Exposição provincial e ocorreu em um dos lugares mais impróprios para tal, à cargo da Associação Comercial e Agrícola de São Paulo. Em 25 de janeiro d 1885, na biblioteca da faculdade de Direito ocorria a primeira exposição no estado de São Paulo e, marcava o inicio das atividades da Associação...
09/03/2005 - TUNEL DO TEMPO - PRAÇA DA REPÚBLICA
Chegando à praça de touros, José Venâncio ainda conservava um raro bom humor... saboreando conscientemente a expectativa de aplaudir um conterrâneo. O odor da t...
06/05/2005 - TUNEL DO TEMPO - COLISEU: A ARENA SANGRENTA
A estrutura do Coliseu continua sendo uma das mais importantes do mundo, com uma história à altura, embora para a maioria essa história seja obscurecida por inverdades. Até recentemente a palavra "Coliseu" jamais tinha sido ou vida. A palavra Coliseu evocava uma arena poeirenta e turbulenta, onde leões devoravam pacíficos cristãos e...
10/09/2005 - TUNEL DO TEMPO - MEMÓRIA BRASILEIRA - QUEM SOU ?
João Ribeiro de BarrosNascido em Jaú / SP, a 4 de abril de 1900, aviador, depois de cursar a Faculdade de Direito durante dois anos, em 1919, iniciou nos Estados Unidos, estudos de Engenharia Mecânica. De volta ao Brasil em 1921, fez o curso de Aviação da Escola Civil de Campinas. No dia 21 de fevereiro de 1923, recebeu na "Ligue Internationale des...
03/03/2005 - MUSEUS - TEATRO MUNICIPAL - SÃO PAULO
Desde 1895, havia o desejo de construir um teatro oficial para São Paulo. A primeira iniciativa partiu da Câmara Municipal, que apresentou vários projetos convocando interessados a construir um ou dois teatros. Os projetos enviados dava isenção de impostos ao vencedor da concorrência por um período de dois, depois de vinte e, finalmente, de cinqüen...
02/03/2005 - TUNEL DO TEMPO - SÃO PAULO NAS ONDAS DO RÁDIO
O fascinante mundo do rádio ou da radiodifusão no Brasil, teve início no ano de 1922, no Rio de Janeiro. Por ocasião das comemorações do centenário da independência, em col...
01/03/2005 - TUNEL DO TEMPO - OS BONDES DE SANTOS
Santos- Brasil: Tudo começou em 1864 com a iniciativa do italiano Luigi Massoja que introduziu em Santos os carros urbanos puxados à tração animal (segunda no País, depois do Rio de Janeiro), com a criação de uma sociedade denominada Serviço Regular de Gôndolas. Seis anos...
01/03/2005 - TUNEL DO TEMPO - UM NOVO RECOMEÇO
Os bondes de Santos contavam com um dispositivo de freios a mais que os outros lugares: um sistema elétrico. Outra inovação santista foi a alavanca, peça de contato com a rede elétrica, que era chamada de lira. Em 21 de dezembro de l951, é formado o Serviço Municipal de transporte Coletivo - SMTC. Em 1956, muitos dos bondes abertos passam a ser ...
00/00/0000 - NOTÍCIAS - AS FACES DO QUEEN
A noite de 20 de maio de 1981 entrou definitivamente para a memória de todos os roqueiros. Uma das melhores bandas de rock de todos os tempos desembarcava em São Paulo para fazer dois shows que colocariam o Brasil na rota das grandes bandas. O Queen estava no auge e completava dez anos de existência. Para isso organizou uma turnê que passou pelo...
06/05/2005 - TUNEL DO TEMPO - Capital faz 451 anos de doces memórias
"A POPULAÇÃO DESCONFIAVA DE QUE AS LUZES PODERIAM CAUSAR MAL À VISTA. COM MEDO DE INCÊNDIOS, E PARA VEREM AS ESTRELAS, ENCAMINHAVAM MILHARES DE CARTAS À LIGHT SOLICITANDO O DESLIGAMENTO DOS POSTES À NOITE". O ano de 2004 foi todo dedicado às comemorações dos 450 anos da cidade de São Paulo. Pipocavam comemorações em todas regiões. O tempo não pára...
23/02/2005 - TUNEL DO TEMPO - 9 DE JULHO: ORGULHO DOS PAULISTAS
Sob os acordes da música Paris Belfort, São Paulo relembrou nesta sexta-feira, dia 9, os 72 anos da Revolução Constitucionalista de 1932. A população que compareceu ao Ma...
23/02/2005 - TUNEL DO TEMPO - MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES
Do Colonial à Contemporaneidade Momentos significantes da arte no Brasil produzido no período colonial à contemporânea está presente na coleção do M.N.B.A., no Rio de Janeiro. O Museu Nacional de Belas Artes é o principal por sua história e posição na produção artística e cultural brasileira. Por estar ao lado da Biblioteca Nacional e em frente a...
13/05/2005 - TUNEL DO TEMPO - CLÓVIS BEVILÁCQUA
Nascido a 4 de outubro de 1859, em viçosa, no Estado do Ceará, este oriundi tornou-se um dos maiores juristas brasileiros de todos os tempos. Por ironia, seu território natal ávido e seco aguçou a sua sensibilidade que, logo deixou de exercer a função de promotor público. Filho de um comerciante e deputado, que nas horas vagas fazia pequenas cirurg...
12/02/2005 - FOTOS - ANHANGABAÚ
19/09/2005 - TUNEL DO TEMPO - CIDADE DE SÃO PAULO: 451 ANOS DE DOCES MEMÓRIAS
"A POPULAÇÃO DESCONFIAVA DE QUE AS LUZES PODERIAM CAUSAR MAL À VISTA. COM MEDO DE INCÊNDIOS, E PARA VEREM AS ESTRELAS, ENCAMINHAVAM MILHARES DE CARTAS À LIGHT SOLICITANDO O DESLIGAMENTO DOS POSTES À NOITE". O ano de 2004 foi todo dedicado às comemorações dos 450 anos da cidade de São Paulo. Pipocavam comemorações em todas regiões. O tempo não pára...



Capa |  ARTES PLÁSTICAS  |  ARTESANIA  |  ATUALIDADES  |  CARANGO  |  CHARGE  |  CINEMA ANTIGO  |  CLÁSSICA  |  CONTANDO HISTÓRIAS  |  CRÉDITOS  |  CULTURA  |  DEAD ROCK  |  DISCOS / SHOWS  |  EDITORIAL  |  EXPOSIÇÕES  |  F&M FEMININA  |  F&M WORLD  |  FILMES EM CARTAZ  |  FOTOTECA  |  GALERIA VISCONDE  |  GIGANTES DO JAZZ  |  IMPRENSA  |  LITERATURA  |  MAURÍCIO CARDIM  |  MPB  |  MUSEUS  |  PARCERIAS  |  PERSONALIDADES  |  PINTORES  |  PORTFÓLIO  |  PROJETOS  |  QUEM SOMOS  |  RÁDIO  |  REDAÇÃO  |  SAÚDE  |  SPcentro  |  TEATRO  |  TELEVISÃO  |  TENDÊNCIAS  |  TVZONA
Busca em

  
754 Notícias